O pronome é uma palavra que pertence a uma classe fechada que pode permitir variação em género e número, noutros em pessoa, género e número, e noutros permite ainda variação em caso. Ao contrário do que acontece com o determinante, o pronome não pode preceder um nome (a menos que sejam separados por uma pausa).

Assim, há a considerar os seguintes pronomes: pessoais (eu, me, mim, comigo, tu, te, ti, contigo, você, si, ele/ ela, se, si, o /a, lhe, nós, nos, connosco, vós, vos, convosco, vocês, eles/ elas, se, si, os / as, lhes). Temos ainda os pronomes demonstrativos cuja listagem é semelhante à dos determinantes, acrescentando-se, apenas o/os, a /as. Os pronomes possessivos são os mesmos apresentados como determinantes, mas, ao contrário destes, os pronomes não podem preceder um nome. Embora as formas sejam as mesmas, elas são pronomes ou determinantes consoante a sua localização e função na frase. Assim, por exemplo, na frase «A minha camisola é azul», ‘minha’ é um determinante possessivo; mas numa frase como «Mas que vida a minha!», ‘a minha’ é um pronome possessivo.

Os pronomes indefinidos são mais numerosos do que os determinantes: algum/ns, alguma/s; nenhum/ns, nenhuma/s; tanto/s, tanta/s, outro/s, outra/s; todo/s, toda/s; pouco/s, pouca/s; muito/s, muita/s; qualquer/quaisquer; nada, tudo, ninguém, alguém, outrem: «Não vi ninguém

Os pronomes relativos são os seguintes: o qual, os quais, a qual, as quais, que, quem. Por último, temos os pronomes interrogativos (que, o que, quem, qual, quais, quanto/s, quanta/s): «Quem canta seus males espanta.»

Vejamos os seguintes exemplos: «Viste o meu cão? Acabei de o ver a atravessar a rua.» Nesta frase, o pronome pessoal ‘o’ substitui o nome ‘cão’, desempenhando a função sintática de complemento direto.

Um outro exemplo: «Comprei várias camisolas, mas nenhuma me serve.» Nesta frase, temos dois pronomes: o primeiro indefinido e o segundo pessoal, com a função sintática de complemento indireto.

Um último exemplo: «Esta casa é cara; aquela é mais barata.» Nesta frase, temos um pronome – ‘aquela’ –, que substitui o nome casa. ‘Esta’ é um determinante que precede o nome.

Em conclusão, o determinante tem uma função diferente do pronome. Enquanto aquele está antes do nome e determina-o, isto é, marca os termos ou limites do nome, os pronomes substituem o nome.

Lúcia Vaz Pedro
close
Subscreva as nossas informações
Partilhar