6 March 2021
Caso seja aprovado a entrada dos dois novos membros, o Mercado Comum do Sul, criado oficialmente em 1991, por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, passará a estender-se da Patagónia às Caraíbas, tornando-se a quinta maior economia do mundo, enquanto bloco

Cimeira do Mercosul discutirá entrada da Bolívia e do Equador

A próxima Cimeira do Mercosul, que se realiza na sexta-feira em Brasília, será marcada pelo início das negociações para a entrada de dois novos membros, Bolívia e Equador, seis meses após a entrada oficial da Venezuela no bloco.

“Esta cimeira já é vista como histórica, pela participação pela primeira vez da Venezuela como membro pleno e a discussão do ingresso de novos sócios”, realçou, em conferência de imprensa, o coordenador da Cimeira do Mercosul, Alessandro Candeas.

Os Presidentes dos países candidatos a uma vaga no bloco – Rafael Corrêa, do Equador, e Evo Morales, da Bolívia, – estarão representes na reunião.

O Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, não estará presente, segundo o Ministério das Relações Exteriores brasileiro, e será representado pelo vice-Presidente e ministro dos Negócios Estrangeiros, Nicolas Maduro.

Caso seja aprovado a entrada dos dois novos membros, o Mercado Comum do Sul, criado oficialmente em 1991, por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, passará a estender-se da Patagónia às Caraíbas, tornando-se a quinta maior economia do mundo, enquanto bloco.

A entrada da Venezuela foi oficializada em julho deste ano, numa reunião controversa, que não contou com representantes do Paraguai, suspenso do bloco desde junho.

Atualmente, o Mercosul possui dez membros, sendo cinco plenos – Brasil, Argentina, Uruguai, Venezuela e Paraguai (temporariamente suspenso) – e cinco observadores – Equador, Bolívia, Peru, Colômbia e Chile.

Existe ainda uma disposição em criar um acordo para garantir o intercâmbio estudantil entre os países membros, com a formulação de programas de bolsa de estudo nos níveis de graduação e pós-graduação.

A partir de hoje, os ministros das Relações Exteriores dos quatro membros ativos (excluindo o Paraguai) iniciam as reuniões de trabalho, que culminarão no encontro presidencial de sexta-feira.

Paralelamente à Cimeira, ocorrerá ainda um Fórum Empresarial do Mercosul, com a participação de empresários e autoridades de todos os membros. O objetivo será procurar ações para a expansão do comércio e dos investimentos entre os membros.

 

FYRO // VM.

Lusa/Fim

Também poderá gostar

Sem comentários