5 March 2021
A Ribeira Grande de Santiago ("Cidade Velha"), 12 quilómetros a oeste da Cidade da Praia, foi eleita sábado como Capital Cabo-Verdiana da Cultura em 2015, noticia hoje a imprensa "online" de Cabo Verde.

“Cidade Velha” eleita Capital Cabo-Verdiana da Cultura em 2015

Já classificada pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade (PMH), em 2009, a “Cidade Velha”, primeira capital de Cabo Verde, sucede a Nova Sintra (ilha Brava) com o estatuto até outubro de 2015.

A eleição do “berço da Nação” foi anunciada nas cerimónias do Dia Nacional da Cultura pelo presidente da edilidade local, Manuel de Pina, que disse esperar uma “ampla campanha” para consciencializar a população na defesa do concelho e o envolvimento de outros municípios na promoção da cultura.

“Poderemos criar grandes redes intermunicipais de promoção da cultura. É necessário estabelecer roteiros que unam as ilhas e as potencialidades para que possamos tirar proveito do turismo. Isto porque, aliado ao turismo, vem sempre a cultura”, defendeu Manuel de Pina, para quem, apesar dos ganhos a nível da cultura e defesa do património na Cidade Velha, ainda há muito por fazer.

A eleição resultou de uma votação “online”, promovida pelo Ministério da Cultura cabo-verdiano, tutelado pelo também músico, compositor, escritor e dramaturgo Mário Lúcio Sousa, em colaboração com Associação Nacional dos Municípios, liderada por Manuel de Pina, e Rede Parlamentar para o Ambiente e Luta Contra a Desertificação e Pobreza

A cidade do Tarrafal de Santiago ficou no segundo lugar e Ribeira Brava de São Nicolau na terceira.

No ato central das comemorações, que assinalam anualmente a 18 de outubro, o dia do nascimento do escritor, jornalista e poeta Eugénio Tavares (1867/1930), o presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, defendeu que a cultura é património de Cabo Verde e de todos os cabo-verdianos, pelo que deve ser um “elo de união”.

Por sua vez, Mário Lúcio Sousa, considerou que Cabo Verde tem de passar a ver as atividades culturais como um setor de desenvolvimento económico do país dado a sua transversalidade, apelando à criação de recursos e de oportunidades para que se possa constituir como uma porta de entrada para mais investimentos.

Eugénio de Paula Tavares, o patrono destas festividades do Dia Nacional da Cultura e das Comunidades, nasceu na Ilha Brava, a 18 de outubro de 1867.

Jornalista, escritor e poeta, Eugénio Tavares tem os seus escritos cantados em dezenas de mornas popularizadas pelos mais importantes cantores cabo-verdianos.

JSD // CC. – Lusa/Fim


Fotos:

– Vista da Cidade Velha, na Ilha de Santiago, em Cabo Verde. ANDRE KOSTERS/LUSA (20/02/2006)

– Fortaleza de São Filipe, tendo como fundo a Cidade Velha, na ilha de Santiago (Praia), Cabo Verde, 04 dezembro de 2012. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários