8 March 2021
"É o habitual. Vem sempre muita gente. De fora, vêm mais os católicos de Hong Kong, mas agora também vêm alguns do interior da China", contextualizou Rafael Afonso, ao explicar que antigamente o percurso "era maior".

Centenas de fiéis e curiosos participaram na procissão de N. Sra. de Fátima em Macau

Centenas de católicos e curiosos assistiram e participaram hoje na procissão de Nossa Senhora de Fátima, num acontecimento “singular” em que os fiéis marcam a sua posição de fé e os turistas testemunham a liberdade religiosa em Macau.

Ao cair da noite, como é tradição, o andor com a imagem de Nossa Senhora de Fátima saiu da Igreja de São Domingos carregado em ombros pelos congregados e congregadas marianos, num desfile aberto por três crianças que simbolizam os pastorinhos de Fátima.

“Que haja saúde, que a comunidade cristã se renove e que a igreja na China prospere”, foi uma das preces escutadas nas três línguas da igreja local – o português, o chinês e o inglês – pelo cortejo religioso, que percorreu a pé, em ritmo lento e entoando cânticos, os cerca de dois quilómetros até à ermida da Penha.

A fé é o motivo que leva a irmã Rosa, da congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor, a acompanhar todos os anos a “virgem Maria” pelas principais artérias da cidade.

“É uma celebração muito importante e que deve ser mantida porque é uma forma de manter as pessoas unidas através desta ligação a Deus. Por vezes as pessoas não têm tempo para ir à igreja praticar a sua fé, mas quando chega este dia não há palavras, é o dia da Mãe Maria”, disse.

Rafael Afonso, que chegou a Macau ia fazer 20 anos e já conta meio século de vida no território, esperava à porta da igreja pela saída da procissão, acompanhado pelo amigo Fernando Carvalho.

“É o habitual. Vem sempre muita gente. De fora, vêm mais os católicos de Hong Kong, mas agora também vêm alguns do interior da China”, contextualizou Rafael Afonso, ao explicar que antigamente o percurso “era maior”.

Nascido em Macau, Fernando Carvalho marca habitualmente presença nesta procissão e na dedicada ao Senhor dos Passos. “Venho porque sou católico. E também, a comunidade macaense está toda reunida aqui”, afirmou.

Comparando com outros tempos, Fernando Carvalho nota uma maior participação na procissão nos últimos anos.

“Não sei porquê, mas talvez uma das razões seja o facto de haver uma grande comunidade filipina” em Macau, acrescentou.

A multiculturalidade da cidade e o turismo atraem ainda dezenas de pessoas como Robert Dale, pastor numa igreja batista em Lincoln, na Inglaterra, que aproveitou a visita à filha residente em Hong Kong para um passeio de um dia em família até Macau.

“Já assisti a outras festividades religiosas na China, mas esta é a maior que já vi”, disse, surpreendido com o número de pessoas que encheu a igreja para assistir à missa.

 

FV (JCS) // VM – Lusa/Fim

Foto: Como é já tradição, a procissão de Nossa Senhora de Fátima realizou se hoje em Macau, desde a igreja de S. Domingos até a Penha, atraindo centenas de pessoas. 13 de Maio de 2013, China. CARMO CORREIA/LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários