“Temos de ser capazes de explorar, com confiança e ambição, o potencial económico da língua portuguesa”, preconiza o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, num artigo publicado hoje nas edições de Portugal, Angola e Moçambique do semanário Sol, a propósito do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que se assinala domingo.

Sublinhando que a língua portuguesa e as culturas da CPLP contribuem para projetar uma visão estratégica de uma rede global lusófona, informalmente constituída por mais de 240 milhões de pessoas que têm o português como idioma oficial, Cavaco Silva assinala que esta proximidade “catalisada pela língua e pela cultura, dinamiza fluxos comerciais, migratórios, criativos, turísticos, de investimento, de conhecimento e de desenvolvimento”.

No artigo, o Presidente da República fala também da CPLP, considerando tratar-se “genuinamente” de “uma marca vencedora, como se constata pelo crescente interesse que suscita em diversos países e blocos regionais.

“Apesar da sua juventude, a nossa Comunidade é uma história de sucesso, quer porque soube identificar o momento político certo para se formar, quer, sobretudo, porque se alicerça em profundas raízes históricas e de amizade”, refere o Presidente da República, defendendo que se reconhece a lusofonia na naturalidade com que se constata que nenhum “é ou se sente estrangeiro perante o outro, ou na terra do outro”. Ler o artigo completo.