Medellín, Colômbia, 24 jul 2022 (Lusa) – A cabo-verdiana Vera Duarte esteve no sábado na inauguração do Festival Internacional de Poesia de Medellín, cuja edição de 2022 volta a ser presencial, após dois anos como um evento virtual, devido à pandemia.

Vera Duarte leu o seu poema-manifesto “Desagregação das ortodoxias”, para evocar as suas lutas em Cabo Verde, utilizando a poesia como “ferramenta” para as mulheres se defenderem do machismo.

“Escrever poesia é uma arte de resistência e emancipação”, disse Vera Duarte, no teatro ao ar livre Carlos Vieco, em Medellín, onde poetas de sete países leram as suas obras perante cerca de 1.500 espetadores.

O festival decorre até 30 de julho sob o lema “Paz Mundial, Paz com a Natureza”, com 65 poetisas e 65 poetas, que irão participar em 64 atividades em diferentes locais da região.

“A poesia é a síntese da história espiritual da humanidade, do passado profundo da humanidade e é a expressão da luta do presente”, disse o diretor do festival, Fernando Rendón, na abertura.

Antes da inauguração oficial, o festival, organizado pela Revista Prometheus Poetry e pelo World Poetry Movement, teve uma série de 45 atividades virtuais, de 9 a 22 de julho.

O encontro poético intercultural, um dos mais importantes do género no mundo, foi declarado património cultural da Colômbia em 2009.

Vera Duarte estreou-se na literatura em 1993, com o livro de poesia “Amanhã Amadrugada”, seguindo-se depois “O arquipélago da paixão” (2001), “Preces e súplicas ou os cânticos da desesperança” (2005), “Exercícios Poéticos Romance” (2010), “A candidata Ensaios” (2003) e “Construindo a utopia” (2007) e “De Risos e Lágrimas” (2018).

“A Candidata”, lançado em 2004 e que recebeu o Prémio Sonangol de Literatura, e “Matriarca – Uma história de Mestiçagens” (2017) são os dois romances da escritora cabo-verdiana, ativista dos direitos humanos, que em 1995 recebeu o Prémio Norte-Sul do Conselho da Europa.

Vera Duarte, ex-presidente da Academia Cabo-verdiana de Letras e membro da Academia de Ciências de Lisboa, foi uma das autoras distinguida com o Prémio Literário Guerra Junqueiro Lusofonia em 2021.

Clique na imagem para aceder

VQ (RYPE) // VQ – Lusa/Fim

The following two tabs change content below.
Avatar photo

Vera Duarte

Vera Valentina Benrós de Melo Duarte Lobo de Pina nasceu em Mindelo, S. Vicente, Cabo Verde. É Juíza Desembargadora, poeta e escritora, formada em Direito pela Universidade Clássica de Lisboa. Membro das Academias Cabo-verdiana de Letras, de Ciências de Lisboa, Gloriense de Letras. Foi Ministra de Educação Ensino Superior, Presidente Comissão Nacional Direitos Humanos e Cidadania, Conselheira do Presidente da República e Juíza Conselheira do Supremo Tribunal de Justiça. Integrou organizações como Centro Norte-Sul Conselho d`Europa, Comissão Internacional Juristas, Comissão Africana Direitos do Homem e Povos, Associação Mulheres Juristas e Federação Internacional de Mulheres de Carreira Jurídica. Recebeu várias condecorações É poeta e autora de vários romances.
Avatar photo

últimos artigos de Vera Duarte (ver todos)

Partilhar