Cabo Verde somou uma pontuação de 76, 6 pontos na avaliação geral dos diferentes critérios, que estão agrupados em quatro categorias: Segurança e Estado de Direito; Participação e Direitos Humanos; Oportunidade Económica Sustentável; e Desenvolvimento Humano.

O arquipélago tem uma ótima avaliação em termos de segurança e funcionamento da lei e justiça, na área da participação cívica e direitos humanos e no bem-estar, nomeadamente no acesso à segurança social.

Porém, recebeu notas menos boas na avaliação às infraestruturas, administração pública, à segurança pessoal e às condições oferecidas às empresas privadas.

Na avaliação feita a 52 países africanos, Cabo Verde continua a ser o melhor entre os países lusófono, à frente de São Tomé e Príncipe (12.º), Moçambique (22.º), Angola (44.º) e Guiné-Bissau (48.º).

A Fundação Mo Ibrahim, homónima do milionário sudanês que a criou em 2006, apoia a boa governação e a liderança em África e elabora anualmente desde 2007 o Índice Ibrahim, que visa informar e ajudar os cidadãos, sociedade civil, parlamentos e governos a medir o progresso.

BM // JCS – Lusa/fim

Fotos:

Centenas de pessoas receberam os jogadores e a equipa técnica da seleção Nacional de Cabo Verde “Tubarões Azuis”, Cidade da Praia, Cabo Verde, 05 de fevereiro de 2013. JOSE MARIA BORGES / LUSA

– Um habitante passeia de bicicleta, numa rua da cidade do Mindelo, Cabo Verde 03 dezembro de 2012. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar