28 February 2021
Internet para todos e a baixo custo é meta do Governo cabo-verdiano nos próximos cinco anos

Cabo Verde aposta nas Novas Tecnologias e no acesso fácil à Internet

Cidade da Praia, 19 fev (Lusa) – O primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, afirmou hoje que o Governo está a apostar na criação de condições para permitir o acesso à banda larga em todos os pontos do país e a um custo mais acessível.

O programa enquadra-se na Estratégia Nacional de Banda Larga (ENBL), que hoje foi apresentado na Cidade da Praia e que, segundo o chefe do Governo, vai contribuir para criação de “mais empregos, maior produtividade e aumento da eficiência económica”, permitindo que o país se torne “mais competitivo”.

“A modernização e a competitividade do país passam por termos acesso e estarmos conectados” às tecnologias de informação, “assim como por estarmos empenhados num mundo mais global no máximo limite permitido nesta autoestrada do futuro”, disse.

A ideia da ENBL, acrescentou, é criar novas e melhores condições e baixar o custo para que todos possam ter acesso as tecnologias de informação e comunicação.

Nesse sentido, explicou que o papel do setor privado será “crucial”, mas prometeu que o Estado terá de ter um papel catalisador na promoção da sociedade de informação.

“O parque tecnológico da Praia vai ser um importante polo de desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação e de oportunidade de negócio. Para isso, é necessária a mobilização do Estado, autarquias, empresas e cidadãos”, adiantou.

José Maria Neves aproveitou para anunciar o desenvolvimento do programa “Internet para Todos”, que pretende alargar a base de penetração das novas TIC e do programa “Mundu Novu”, para garantir a acessibilidade em todas as escolas do país.

Por sua vez, o presidente do conselho de administração da Agência Nacional de Comunicações (ANAC), David Gomes, adiantou que a EBNL vai permitir agregar todas as iniciativas que promovam a acessibilidade e conectividade, criando uma autoestrada de acesso ao conhecimento e desenvolvimento da sociedade de informação.

“Cabo Verde está a apostar fortemente neste setor, tendo em conta que o desenvolvimento das tecnologias e da sociedade de informação tem um papel importante para o desenvolvimento económico”, acrescentou.

Segundo David Gomes, o objetivo é, até 2017, transformar Cabo Verde num centro internacional de prestação de serviços.

“Estamos a falar de todas as iniciativas que venham do Governo e das operadoras de comunicações eletrónicas que promovam o acesso à banda larga e o desenvolvimento da sociedade de informação. Queremos ter um documento estratégico muito organizado para a caminhada da agenda de transformação, que prevê que Cabo Verde se torne um centro internacional de serviços”, explicou

A ENBL inclui um conjunto de metas, cujo cumprimento permitirá atingir uma relação mais equilibrada entre os custos de expansão da cobertura de acesso e o tempo necessário para que o órgão regulador implemente ações de aumento da eficiência do mercado, garantindo preços ao alcance dos cidadãos cabo-verdianos e serviços com maior qualidade.

O documento integra ainda o desenvolvimento de uma cultura digital e de promoção de conteúdos aplicações desenvolvidos em Cabo Verde.

As metas propostas têm em consideração o nível atual de acesso e penetração de banda larga em Cabo Verde e os que se pretendem alcançar nos próximos cinco anos.

CLI // PJA – Lusa/Fim

Foto: Alunos da Escola Capelinha, na Cidade da Praia, com o computador Magalhães. 12 de Março de 2009. PAULO NOVAIS/LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários