5 March 2021

Brasil defende na ONU língua portuguesa e direitos dos afrodescendentes

“A língua portuguesa também é universal”, disse a ministra de Direitos Humanos do Brasil, Luislinda Dias Valois, esta segunda-feira 27, na 34ª sessão do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, em Genebra, na Suíça.

A defesa da língua portuguesa e dos direitos dos afrodescendentes destacaram-se no primeiro discurso à ONU da novel ministra de Direitos Humanos do Brasil, Luislinda Valois. A juíza desembargadora aposentada tomou, no dia 2 de Fevereiro, posse da controversa pasta, considerada menos prioritária que as pastas suprimidas nesta presidência de Michel Temer.

O discurso de 12 minutos contemplou — além da referida defesa da língua portuguesa e dos direitos dos afrodescendentes —o que o Brasil está a fazer para combater os seus piores males: o desemprego, corrupção e crise no sistema prisional. Todavia, disse, o país “está de volta” ao cenário internacional e tem robustez nas suas instituições. Ler o artigo completo.

Também poderá gostar

Sem comentários

ARTIGOS POPULARES