“É uma oportunidade única de promoção do Brasil e da língua portuguesa, pois será uma Copa do Mundo e Olímpiada lusófona, sedeada num país que tem o português como idioma único nacional e instrumento de unificação e unidade do país”, disse à agência Lusa Luís Fernandes.

O responsável brasileiro falava em Coimbra, onde participou no XIII Congresso Nacional da Associação Portuguesa de Gestão do Desporto.

No evento, acrescentou, vai ” falar do desafio de gestão extremamente complexo, diria quase assustador se não tivesse confiança que vamos conseguir enfrentar os desafios, que é a organização de dois mega eventos desportivos – os maiores e mais mediáticos do Mundo”.

As críticas da FIFA ao atraso na construção dos estádios para a “Copa” estão ultrapassadas, segundo Luís Fernandes, que anunciou a inauguração de dois (Fortaleza e Belo Horizonte) dos seis estádios para dezembro, enquanto os restantes têm prazo de entrega para abril, a tempo da Copa das Confederações, no final de junho.

O secretário executivo do Ministério do Desporto Brasileiro salientou, no entanto, que a realização dos dois maiores eventos desportivos do Mundo não representa somente a construção de estádios, mas “um amplo programa de infraestuturas de mobilidade urbana, metro, linhas, modernização de aeroportos e portos, saúde, telecomunicações, energia e segurança”.

Para o responsável, além da imagem do país e da promoção do espaço lusófono, o Mundial de 2014 representa, sobretudo, “o legado de infraestruturas que ficam para o Brasil, que é um país em crescimento”.

“O nosso planeamento para a Copa é muito amplo, porque o Governo entendeu e foi isso que nos levou a lutar tanto pela sua organização que era uma oportunidade para promover o desenvolvimento do país”, sublinhou.

Luís Fernandes adiantou à agência Lusa que o Governo brasileiro recolheu ensinamentos em Portugal da realização do Euro 2004′, em que destacou a excelente organização e a rápida construção de novos estádios, além de terem estudado as experiências mais recentes, como o Mundial da África do Sul e da Alemanha.

O responsável brasileiro desvalorizou ainda que os recentes episódios de violência em algumas cidades possam manchar a organização dos eventos, considerando que os “índices de criminalidade estão em baixa generalizada, apesar de alguns picos que estão dentro do contexto geral que é a significativa redução da violência”.

AMV // NF.

Lusa/Fim

 

 

Foto: LUSA -Cidades brasileiras como Fortaleza, no Ceará, disputam a realização dos jogos do Mundial de 2014, a decorrer no Brasil. O Ceará pretende conquistar um lugar com o projecto de reabilitação do Estádio Plácido Aderaldo Castelo, conhecido como Castelão, localizado em Fortaleza, a capital do estado, Brasil, 12 de janeiro de 2008.  LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar