Cooperação Portuguesa Guiné-Bissau

Candidaturas até 14 de julho, às 15h45.

O Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. disponibiliza três bolsas para estudos de licenciatura em Portugal.

Serão aceites candidatos de nacionalidade guineense e que estejam a residir na Guiné-Bissau há, pelo menos, três anos, com idade até aos 25 anos, com o 12.º ano (ou equivalente) concluído (o que não exclui candidatos já licenciados) e que tenham obtido uma classificação mínima de 14 valores (média) nos últimos três anos de estudos.

Os candidatos deverão entregar até às 15h45 do dia 14 de julho, na Embaixada de Portugal, os seguintes documentos:
i) Certificados de habilitações do 10.º, 11.º e 12.º ano (ou equivalente pré-universitário), que discriminem as disciplinas e as respetivas classificações;
ii) Cópia do documento de identificação (Bilhete de Identidade ou Passaporte), inscrita com a frase “autorizo a utilização deste documento nos procedimentos do concurso e para requerimento de equivalência de habilitações” e assinada;
iii) Carta de motivação, onde conste informação sobre o curso de licenciatura e a universidade pretendidos.

Os documentos deverão ser colocados num envelope fechado, dirigido ao “Júri de Bolsas” e identificado com o nome e telefone do candidato.

Serão preferidas candidaturas a cursos de licenciatura em áreas disciplinares que sejam coerentes com a estratégia de desenvolvimento da Guiné-Bissau (cfr. Plano Terra Ranka) e não preferidas as candidaturas que optem por cursos já existentes no ensino superior público do país (e.g. Direito, Língua Portuguesa, Medicina, Enfermagem).

Caso não sejam contactados até ao dia 18 de julho, os candidatos não terão sido selecionados para a fase seguinte do concurso e poderão levantar os documentos de candidatura, na Receção da Embaixada de Portugal, até dia 31 de julho, data em que serão destruídos os não devolvidos.

A classificação média dos candidatos no ensino secundário terá um peso ponderado de 60% no concurso. Os candidatos selecionados nesta 1.ª fase farão, depois, uma prova escrita de matemática e língua portuguesa cuja avaliação preencherá 40% da classificação geral.

RELACIONADAS