“Só perguntamos o número e idade dos alunos que participarão e enviamos um ou dois professores sem compromisso, que dão uma aula de 30 a 60 minutos”, disse à agência Lusa, à margem de “O Céu é o Limite”, uma conferência anual em Londres sobre o ensino do português no Reino Unido.

Durante a “aula de prova”, são ensinadas algumas frases de iniciação em português, como os cumprimentos, pedidos de serviços, perguntas sobre local de nascimento ou residência e despedidas.

“Até agora ainda fizemos poucas, mas a maioria foram escolas secundárias que até nem têm alunos portugueses e que procuram informação sobre o ensino de línguas estrangeiras”, explicou.

O Instituto Camões, que funciona integrado na embaixada de Portugal no Reino Unido, admitiu a responsável está em “concorrência” com outras línguas, como o francês, para conseguir entrar para o programa curricular das escolas britânicas.

O ensino de idiomas estrangeiros já é compulsório nas escolas secundárias, mas a partir de setembro passa também a ser obrigatório para as crianças a partir dos sete anos no ensino primário.

“As aulas de prova são uma forma de mostrar que temos meios para apoiar as escolas nessa decisão: um esquema didáctico com recursos áudio e vídeo. Mas França oferece um programa completo com todas as aulas”, admitiu.

“O Céu é o Limite” é uma conferência anual sobre o desempenho do ensino da língua portuguesa no Reino Unido como idioma estrangeiro e língua de família em escolas primárias, secundárias e universidades que visa partilhar experiências entre vários profissionais do meio.

 

BM // APN – Lusa/fim

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar