As aulas de português serão ministradas por professores habilitados, nas cinco instituições, a partir de abril. Segundo José Cesário, os cursos terão 60 horas, e as turmas ainda estão a ser constituídas. O investimento do governo português no projeto será de 15 mil euros neste ano.

“Espero que o projeto venha a dar um contributo para que tanto os mais jovens como os mais velhos venham a readquirir o contacto com a língua portuguesa”, afirmou o secretário de Estado das Comunidades.

No fim do ano, os resultados do projeto serão analisados, e as autoridades irão determinar se o financiamento para as aulas continuará em 2015.

Na visita que começou na última quinta-feira, Cesário também visitou a cidade de Comodoro Rivadavia, no sul da Patagônia, onde há uma comunidade portuguesa de 300 pessoas, além de cerca de dois mil descendentes.

Essa foi a primeira visita do secretário de Estado à cidade, cuja comunidade portuguesa é organizada, e possui presença, com um cônsul honorário, uma Associação Portuguesa de Beneficência e Socorros Mútuos e um Clube Desportivo Português.

Neste domingo, Cesário está em São Paulo, no Brasil, onde participa nas comemorações do 29º aniversário da Casa de Portugal do Grande ABC (na região metropolitana da cidade).

O secretário de Estado realçou que o Grande ABC (região formada pelas cidades de Santo André, São Bernardo e São Caetano), possui cerca de 600 membros na comunidade portuguesa, o que delega à Casa de Portugal uma função importante.

Questionado sobre a suspensão do sinal da RTP para parte dos Estados Unidos na última sexta-feira, o secretário de Estado das Comunidades afirmou que não se irá pronunciar sobre o tema, porque ele não está na sua “área de responsabilidade”.

FYB. // VC – Lusa/Fim

Foto LUSA: Estudantes do último ano do “Colegio Nacional Buenos Aires” na tradicional corrida que celebra o fim das aulas e a sua próxima formatura. Buenos Aires, Argentina, 11 de dezembro de 2009. EPA/LEO LA VALLE

Partilhar