Guilherme d’Oliveira Martins e Mendo Castro Henriques são os oradores do segundo debate das Novas Conferências do Casino sobre Ciência, Cultura e Educação.

Moderação a cargo do padre escritor José Tolentino Mendonça. A segunda palestra é já este sábado, dia 29 de novembro de 2014 e é aberta ao público no Casino do Estoril a partir das 16h.

O ex-ministro da Educação, Guilherme d’Oliveira Martins” disse ao Expresso quesó haverá desenvolvimento humano em Portugal se soubermos assumir a Educação, a Ciência e a Cultura como prioridade”. Esta é uma das mensagens que o presidente do Centro Nacional de Cultura, sobrinho bisneto do historiador Oliveira Martins que andou pelas primeiras Conferências do Casino, vai transmitir esta tarde no segundo debate do ciclo Novas Conferências do Casino.

“A língua portuguesa é a terceira língua europeia mais falada no mundo e a primeira do hemisfério sul.  Até ao final do sec. XXI seremos 400 milhões de falantes e prevê-se um alargamento de influência quer na economia quer nas novas tecnologias.
Temos uma língua de várias culturas e uma cultura de várias línguas. Sem um bom conhecimento da língua materna não haverá boa aprendizagem nos diversos domínios do saber”, acrescenta Oliveira Martins.

As Novas Conferências do Casino são um ciclo de oito debates que se prolongam até junho de 2015. Querem diagnosticar o estado do país e fazer propostas. O primeiro debate aconteceu no dia 24 de outubro, com Eduardo Lourenço e Viriato Soromenho Marques a discutirem “O Hiper-Humano e as Sociedades do Futuro”.

Do Manifesto Contra à Crise ao Casino

O “Manifesto contra a crise”, que o Expresso divulgou em primeira mão, foi apresentado ao público por Pedro Abrunhosa, a 29 de janeiro deste ano, foi a primeira etapa deste projeto de “radiografia da sociedade” que as Conferências do Casino se propõe fazer. “Queremos fazer um diagnóstico prospetivo e transversal; e queremos fazê-lo de forma agregadora e transversal, sem conotações partidárias”, explica a professora da Faculdade de Letras, Annabela Rita, uma das promotoras deste protesto reflexivo sobre o estado do país.

Os promotores das Novas Conferências do Casino entre os quais estão nomes como Miguel Real, José Eduardo Franco, Carlos Fiolhais, para além de prestarem homenagem às [originais] Conferências do Casino ou Conferências Democráticas do Casino Lisbonense, que se realizaram de 22 de março a 26 de junho de 1871 numa sala do casino situado no Largo da Abegoaria, em Lisboa, também fizeram questão que o ciclo decorresse num Casino.

Só não terão mesmo o Antero de Quental a fazer a sua “brilhante conferência, Causas da Decadência dos Povos Peninsulares, que foi uma pedrada no charco do pensamento português”,  como lembra Annabela Rita, professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Fonte: Expresso

Fotos:

– Guilherme d’Oliveira Martins na sede do Tribunal de Contas, Lisboa, 25 de março de 2014. MÁRIO CRUZ/LUSA.

– O presidente do Tribunal de Contas, Guilherme d’Oliveira Martins na Assembleia da República, em Lisboa, 16 de janeiro de 2013. MARIO CRUZ / LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar