9 March 2021
É um dos romancistas mais fecundos da primeira metade deste século. Inicia a sua obra em 1913 com os contos de Jardim das Tormentas e com o romance A Via Sinuosa, 1918.

Aquilino Ribeiro (1885-1963) – Cinquentenário da morte

Aquilino mantém a qualidade literária na maioria dos seus textos, publicados com regularidade e êxito junto do público e da crítica.

Andam Faunos pelos Bosques, 1926, A Casa Grande de Romarigães, 1957, O Malhadinhas e Quando os Lobos Uivam, 1958, representam tendências constantes da sua ficção: um regionalismo que é apego à terra campesina e às suas gentes, sem perder universalidade nos seus caracteres e descrições; uma ironia terna e complacente perante os vícios humanos comuns; uma crítica violenta da opressão política e do fanatismo ideológico, uma atenção inebriada ao pulsar do torrão campestre, tanto como à vibração sensual do corpo no ser humano.

Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique.

Membro Honorário da Ordem da Liberdade.

PROGRAMA DAS COMEMORAÇÕES

Coordenação de Luís Machado

 

25 de Fevereiro de 2013

Aquilino -O Homem e o Escritor

Panteão Nacional –18h30

Com António Valdemar, José Manuel Mendes, Máriode Carvalho, Serafina Martins

 

19 de Março de 2013

Aquilino -O Tempo da Clandestinidade e dos Exílios

Assembleia da República (Biblioteca) –18h30

Com Alfredo Caldeira, Fernando Rosas, JoséManuel Mendes, Mário Cláudio

 

20 de Abril de 2013

Itinerário I –Terras do Demo

Guiado por Henrique Monteiro

 

21 de Abril de 2013

Itinerário II –Romarigães

Guiado por Mário Cláudio

 

22 de Maio de 2013

Mesa-redonda Paris, Tempo de Exílios e Liberdade

Com António Coimbra Martins, Eduardo Lourenço e José Augusto-França

Fundação Calouste Gulbenkian, delegação em Paris (Boulevard de la Tour Maubourg,

39 –Paris 7.ºeme), 18h00

 

24 de Maio de 2013

Evocação histórica“Os cafés de Aquilino em  Montparnasse”, por Luís Machado

Café La Closerie De Lilas, 10h00

 

27 de Maio de 2013

De Garfo e Faca com Aquilino

Café Martinho da Arcada –20h00

Com António Valdemar, Luís Machado

Oradores: Alfredo Caldeira, António Coimbra Martins, António Valdemar, Eduardo Lourenço,

Fernando Rosas, José Augusto-França, José Manuel Mendes, Henrique Monteiro,

Luís Machado, Mário Cláudio, Mário de Carvalho, Serafina Martins

Locais: Panteão Nacional, Assembleia da República, Café Martinho da Arcada, Fundação Aquilino Ribeiro (Soutosa), Fundação Calouste Gulbenkian (Paris)

Organização: Associação Portuguesa de Escritores

Patrocínio: Montepio Geral

Apoios: Fundação Aquilino Ribeiro, Fundação Calouste Gulbenkian, Câmara Municipal de Paredes de Coura, Câmara Municipal de Viseu, Antena 1, Antena2

 

Fotos:

-Aquilino Ribeiro (recolhida no blogue portuga-coruche)

-Foto de família – da esq. para a dir.: tia Elzira, Avô Bernardino,  Avó Elzira, Aquilino Ribeiro, tia Gigi, prima Maria, tia Sofia, minha irmã Maria Adelaide, tia Joana (extraído do blogue Bernardino Machado)

Também poderá gostar

Sem comentários