No dia em que os chineses da State Grid dão o primeiro passo para a aquisição de 40 por cento da REN – Redes Energéticas Nacionais juntamente com os árabes da Oman Oil Company, a Antena1 foi ao encontro de uma jovem chinesa que veio para Portugal aprender português.O Governo chinês também está a apostar no ensino do português, encetando esforços para aumentar o número de universidades chinesas onde se ensina a língua de Camões.

A língua portuguesa é encarada na China como sinónimo de boas oportunidades de negócio, visto que é falada em Portugal, mas também em países com economias efervescentes, como é o caso do Brasil e de Angola.

 

 

Ler e ouvir Notícia RTP

 

Nuno Patrício

Ensino de qualidade em português e chinês é vantagem na relação entre China e mundo académico

Macau, China, 21 fev (Lusa) – O diretor da faculdade de Direito da Universidade de Macau defendeu hoje que o ensino “de qualidade” em português e chinês do Direito em Macau é uma vantagem para a relação entre a China e o mundo.

“É muito importante mantermos (o ensino da) a lei em ambas as línguas (português e chinês). Além de ser um requisito da Lei Básica, é essencial porque a Lei de Macau, de momento, é baseada na lei portuguesa, por isso é muito importante para os estudantes adquirirem capacidades em usar a língua”, disse John Shijian Mo.

Para o diretor da faculdade de Direito da Universidade de Macau, que falava à margem do Fórum Internacional – Gestão Universitária: Chave da Concorrência, a decorrer no território até quarta-feira, o ensino bilingue “de qualidade” também é uma vantagem nas relações internacionais.

“Também é uma vantagem para a nossa faculdade de Direito formar os alunos através de um ensino bilingue de qualidade, atendendo à necessidade da comunidade, e também no estrangeiro, no âmbito da relação entre a China e os países de língua portuguesa”, disse.

 

Ler o artigo completo (Notícias Sapo)

 

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar