Díli, 13 set (Lusa) – O ano letivo na Escola Portuguesa de Díli arrancou hoje, formalmente, com mais de 900 alunos, a maioria timorenses, num ano em que os responsáveis do centro educativo querem apostar na sua ampliação.

Para isso foi já apresentada uma proposta pela direção da escola, no valor de dois milhões de euros, que, a ser aprovada, permitirá a construção de 20 novas salas e de um auditório, como explicou o diretor da escola, Acácio de Brito.

Isso, explicou, permitirá “ampliar a capacidade de receção de novos alunos”, respondendo assim à elevada procura junto da sociedade timorense.

As boas vindas aos alunos foram feitas na passada sexta-feira mas, depois de um feriado religioso na segunda-feira só hoje arrancaram as aulas numa das escolas mais procuradas de Timor-Leste e que acumula uma lista de espera com mais de 700 famílias.

Inscritos este ano estão 200 alunos do pré-primário e 700 entre o 1.º e o 12.º ano, com o diretor da escola, Acácio de Brito, a destacar a vontade de manter o centro escolar como “espaço de referência da língua e da cultura portuguesa, exigente nos propósitos, qualificante e qualificadora dos recursos humanos”.

ASP // VM – Lusa/Fim
close
Subscreva as nossas informações
Partilhar