À semelhança de anos anteriores, o festival literário vai fazer convergir em Macau mais de 30 figuras entre escritores, editores, cineastas, artistas plásticos e músicos oriundos de Macau, Hong Kong, Taiwan, China e de países de língua portuguesa.

Wang Anyi, presidente da Associação de Escritores de Xangai e autora de romances como “The Song of Everlasting Sorrow”, distinguida com a Ordre des Arts et des Lettres de França, figura entre as convidadas de maior destaque, num cartaz em que o escritor angolano Ondjaki, vencedor dos prémios Jabuti (2010) e Saramago (2013) é um dos nomes mais relevantes do lado dos autores lusófonos.

De Portugal está confirmada a presença do romancista e antigo secretário de Estado da Cultura Francisco José Viegas e do escritor João Tordo, vencedor do Prémio Saramago (2009), bem como de Maria do Rosário Pedreira, poeta, editora e autora de livros para crianças, e de David Machado, romancista com vários prémios de literatura infantil. Do Brasil, a Rota das Letras recebe o poeta e humorista Gregório Duvivier.

Wong Bik-wan, autora de Hong Kong, participa com uma performance de palco, após ter vencido, no ano passado, o Prémio Dream of Red Chamber, com o romance “Children of Darkness”.

O aclamado poeta chinês Xi Chuan e o poeta e curador do Festival de Poesia de Taipé, Hung Hung; uma das mais famosas escritoras de literatura infantil na China, Yang Hongying; e os jovens autores Yan Ge (“White Horse”) e Murong Xuecun (“Leave Me Alone – A Novel of Chengdu”) completam a lista de escritores chineses com presença confirmada no evento, de acordo com a organização.

Os autores locais também vão ter uma “presença importante”, participando em sessões e visitas a escolas e universidades.

O romancista e escritor de livros para crianças Joe Tang é um dos convidados do festival, como Cecília Jorge – cujos livros sobre cozinha macaense se têm tornado conhecidos ao longo dos anos –, bem como Rogério Beltrão Coelho, escritor e editor com vasto trabalho relacionado com a literatura em Macau.

Tal como em edições anteriores, serão realizadas várias iniciativas abertas ao público, como debates, mesas redondas e seminários, bem como uma feira do livro.

A sétima arte também tem um espaço reservado, com os cineastas João Botelho e Ann Hui a visitarem Macau para mostrarem os seus filmes recentes.

Ann Hui, vencedora do prémio Cineasta do Ano no Festival Internacional de Cinema de Busan, mostrará o filme “The Golden Era”, um drama biográfico sobre a autora chinesa Xiao Hong, uma das mais importantes escritoras da China no século XX. Já o realizador português traz “Os Maias”, adaptação do romance escrito por Eça de Queiroz e “Filme do Desassossego”, obra em que Botelho busca inspiração na voz poética de Fernando Pessoa.

Também de Portugal surge Miguel Costa, que vai exibir “No Divã”, filme com Paulo Pires, Bastet Cabeleira e o maestro António Vitorino d’Almeida, também ele convidado do festival.

Serão também apresentadas três exibições individuais, com Ge Zhen, um dos mais relevantes pintores contemporâneos da China; Tyrone Ho, arquiteto e cartoonista de renome de Hong Kong, e João Fazenda, ilustrador português com uma forte carreira internacional, a marcarem presença.

Já no plano musical, sobem ao palco do Cotai Arena, no hotel-casino Venetian, na noite de 21 de março, a banda de Hong Kong LMF, o brasileiro Gabriel O Pensador e o grupo local Blademark.

O Festival Literário de Macau – Rota das Letras, fundado pelo jornal Ponto Final, em 2012, tem o patrocínio do Instituto Cultural de Macau e da Fundação Macau, bem como de várias entidades privadas.

DM // EL – Lusa/Fim

Fotos: Ondjaki na sede da UCCLA. 10 de fevereiro de 2015

Partilhar