O álbum póstumo da Cize ” Mãe Carinhosa” é segundo o produtor Djô da Silva, uma compilação de várias músicas gravadas em Cabo Verde e na Europa antes da morte da cantora e que seria a sua homenagem à sua progenitora.

“São essencialmente mornas e coladeiras, géneros musicais tradicionais que ajudaram a fazer o arquipélago conhecido pelo mundo fora, e que Cize interpretou grandes compositores cabo-verdianos que sempre a acompanharam durante a sua carreira, como Manel d’Novas, Teófilo Chantre e Bitú”, explicou.

“Mãe Carinhosa” é uma produção da Harmonia, mas que Djô da Silva prefere não avançar mais pormenores. Entretanto, Djô da Silva revelou que Cesária Évora deixou gravadas músicas em quantidade suficiente para produzir, pelo menos, mais dois álbuns.

O anúncio do novo CD da Cize foi feito durante as homenagens que ocorreram no arquipélago, para a “Diva dos pés descalços”, no aniversário da sua morte.

No Mindelo, mais de uma centena de populares saíram à rua em serenata para cantarem as músicas eternizadas pela Cize, uma iniciativa promovida pelo grupo cívico “Ponto de Fuga” que percorreu as principais artérias da cidade, terminando na casa onde a cantora residia.

Na semana passada, a ilha de Santo Antão, onde nasceu a mãe da cantora, recebeu um mega espetáculo para homenagear Cesária Évora. O espetáculo reuniu artistas que acompanhavam Cesária Évora, amigos da cantora e nomes internacionais como o Bonga, de Angola e Ismael Lo do Senegal, Bernard Lavilliers (França), Camané (Portugal).

Ao longo da noite desfilaram pelo palco alguns dos nomes mais sonantes da música cabo-verdiana da atualidade, como Sara Tavares, Nancy Vieira, Teófilo Chantre, Lura, Zeca di Nha Reinalda, Tito Paris, Gabriela Mendes, Mirri Lobo, Jacqueline Fortes e Mário Lúcio Sousa (músico e também ministro da Cultura).

CLI // GC.

Lusa/FIM

Foo: LUSA / Cesária Évora, 29 de Maio de 2009, Filipe Gouveia/LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar