Lisboa, 01 jan (Lusa) – O Acordo Ortográfico entra hoje em vigor no Brasil, onde “já está a ser aplicado de uma forma natural”, segundo Marisa Mendonça, diretora-executiva do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), que esteve no país no final de outubro, início de novembro.

“Estive há pouco mais de mês e meio no Brasil e passei por vários estados brasileiros, por várias cidades e, a diversos níveis, senti que o acordo está a ser aplicado de uma forma natural”, declarou a responsável do IILP à agência Lusa.

De acordo com Marisa Guião de Mendonça, no Brasil, “as crianças, as escolas, os jovens estão completamente por dentro daquilo que é o Acordo Ortográfico”.

Para a diretora-executiva do IILP, a naturalidade com que a mudança de ortografia é encarada no país faz com que o Instituto Internacional da Língua Portuguesa não tenha sequer ponderado a possibilidade de “um adiamento” na entrada em vigor do Acordo.

O Brasil, que ratificou o Acordo a 18 de abril de 1995, tinha, tal como Portugal, estabelecido uma moratória para a sua aplicação, sendo que, em Portugal, o Acordo entrou em vigor a 13 de maio do ano passado, enquanto o Brasil escolheu o último dia de 2015 para o fim do período de transição, que se caracterizou pela utilização de uma dupla grafia.

Falando em Luanda a 07 de setembro de 2015, o ministro da Cultura do Brasil, João Luiz Ferreira, admitira a existência de “erros na condução do Acordo [Ortográfico]”, mas considerara a ideia “muito boa”, por entender o português como uma língua que se realiza territorialmente em regiões distintas, igualmente diferentes em termos antropológicos e sociológicos.

Juca Ferreira, como é conhecido, afirmou à data ser importante manter a língua portuguesa “enquanto uma unidade”, tendo em vista o potencial de “criar uma economia cultural forte e com presença sólida no cenário internacional”.

HSF (NME) // PJA – Lusa/fim
brasil tabuleta

Imagem extraída em http://veja.abril.com.br/blog/marcelo-madureira/opiniao/o-brasil-num-beco-sem-saida/

Partilhar