27 February 2021
Foto: LUSA

A rede do Instituto Camões de Ensino de Português no Estrangeiro

Lisboa, 27 mai 2019 (Lusa) – A rede do Ensino de Português no Estrangeiro (EPE), com 50 cátedras em universidades espalhadas pelo mundo, está presente nos cinco continentes, num total de 77 países.

No ano passado, 70.920 alunos frequentaram os ensinos básico e secundário, enquanto 115.883 cursaram cursos superiores.

Pontos essenciais sobre o EPE:

  • A rede EPE

Na Europa, são 31 países com presença da EPE: Alemanha, Andorra, Áustria, Bélgica, Bielorrússia, Bulgária, Croácia, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Geórgia, Hungria, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Macedónia, Moldávia, Noruega, Polónia, Reino Unido, República Checa, Roménia, Rússia, Sérvia, Suécia, Suíça, Turquia e Ucrânia.

África do Sul, Argélia, Angola, Botsuana, Cabo Verde, Costa do Marfim, Egito, Etiópia, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Marrocos, Moçambique, Namíbia, Nigéria, Quénia, República Democrático do Congo, São Tomé e Príncipe, Senegal, Suazilândia, Tanzânia e Zimbabué constituem os países em África onde se ensina português, num total de 22.

No continente americano, são 11: Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Cuba, Estados Unidos da América, México, Peru, Uruguai e Venezuela.

Na Ásia e Oceânia (13 países), o ensino de português está em China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, Japão, Malásia, Tailândia, Timor-Leste, Vietname, Paquistão, Qatar, Austrália e Israel.

A rede tem vindo a crescer desde 2016. Neste ano, o EPE estendeu-se a 70 países, mais três em 2017. Em 2018, 77 países.

  • Escolas e centros associados

A rede de escolas ou centros associados é um conjunto internacional de instituições de ensino do português como língua estrangeira, públicas ou privadas, que se dedicam ao ensino e divulgação da língua e cultura portuguesas no estrangeiro ou em Portugal.

Existem um total de 14 escolas e centros associados no Canadá (3), Estados Unidos (3), França (2), Portugal (2), Reino Unido (2), Suíça (1) e Venezuela (1).

  • Cátedras em universidades estrangeiras

As 50 cátedras em português são ministradas em universidades de 20 países. Itália é o país com mais universidades a assegurarem a investigação e o ensino em múltiplas áreas disciplinares e multidisciplinares, nomeadamente as de Linguística, Literatura, Artes, História e Estudos Pós-coloniais.

O Instituto Camões instituiu “como principal objetivo destas cátedras revelarem o estatuto do português enquanto Língua de Ciência”.

Alemanha (com quatro cátedras), Andorra (1), Brasil (6), Cabo Verde (1), Canadá (1), Chile (1), Colômbia (1), Cuba (1), Espanha (4), Estados Unidos (1), França (5), Índia (1), Itália (12), México (1), Moçambique (1), Polónia (1), Reino Unido (5), Roménia (1), Suíça (1) e Venezuela (1) são os países com cátedras em português.

A língua portuguesa está igualmente presente em Centros Associados, Centros de Língua, Leitorados, Centros Culturais Portugueses e Unidades de Cooperação.

  • Alunos inscritos no ano passado

Em 2018, o número de alunos nos ensinos básico e secundário fixou-se em 70.920, mais 3,1% do que em 2017, ano em que o registo ficou em 68.768.

O ensino superior teve 110.295 alunos em 2018, enquanto no ano anterior foram 186.803 alunos. O aumento foi de 15%.

  • Professores nos ensinos básico e secundário

Os professores da rede EPE nos ensinos básico e secundário aumentaram de 941 em 2017 para 965 no ano passado. O aumento registado foi de três pontos percentuais.

Em 2012, a responsabilidade dos professores do ensino de português transitou do Ministério da Educação para o Ministério dos Negócios Estrangeiros/gabinete do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas/Camões – Instituto da Cooperação e da Língua.

No ensino superior, o número de leitores, docentes e investigadores aumentou de 808 (2017) para 852 (2018), a que corresponde acréscimo de 15%.

  • Coordenações de Ensino Português no Estrangeiro, Escolas e Centros Associados, Centros de Língua, Cátedras, Leitorados, Centros Culturais Portugueses e Unidades de Cooperação.
JOP // PJA – Lusa/Fim

Também poderá gostar

Sem comentários