28 February 2021
A atacante brasileira, que venceu por cinco vezes o título de melhor jogadora do mundo, está a participar pela primeira vez na Algarve Cup, a prova algarvia que reúne as melhores seleções mundiais da modalidade.

A melhor jogadora do mundo fala português

Marta Silva, aos 29 anos, quer continuar a somar títulos individuais e coletivos no futebol feminino e garante que irá lutar pela conquista dos títulos mundial e olímpico.

“Depois do que já conquistei, espero conseguir algo mais. Quem sabe se já este ano no Mundial e também nas olimpíadas em 2016”, disse à reportagem da Lusa a atacante brasileira, no final do penúltimo treino por terras algarvias.

Para Marta Silva, a participação da seleção brasileira na Algarve Cup tem sido “um grande e importante teste para a equipa, devido à integração da nova equipa técnica e também de jogadoras que representam a seleção pela primeira vez”.

“Ficámos no grupo mais forte, o que é uma oportunidade para testar e preparar a equipa para termos condições de chegarmos melhor ao Mundial”, disse Marta Silva, considerando que a prestação na prova algarvia – uma vitória, um empate e uma derrota – “servem para melhorar o que está menos bem”.

A jogadora mais talentosa do Brasil elogiou a prova algarvia, “bem organizada com as melhores seleções, numa região muito agradável e com excelentes condições para as equipas trabalharem”.

Apontada como referência para as jogadoras mais jovens e que chegam agora à seleção brasileira, Marta Silva considera que a distinção atribui-lhe maior responsabilidade: “Perceber que elas me veem como um exemplo, torna-se numa responsabilidade muito maior, porque queremos passar o melhor que temos, tanto dentro como fora do campo.”

“Com o passar do tempo e da forma como as coisas têm acontecido na minha vida, tudo se torna uma responsabilidade, porque tenho de parar para pensar no que vou responder e fazer, dentro e fora do campo”, sublinhou a atacante brasileira, acrescentando que “o facto de ser conhecida faz com que esteja sempre sob o olhar das pessoas”.

Marta Silva tem na mãe o grande “ídolo e fonte inspiradora”, devido à história de vida e da forma como criou os filhos, “com muitas dificuldades”, mas no futebol masculino, Cristiano Ronaldo e Neymar “estão entre os preferidos”.

“Hoje em dia, não há somente um bom jogador, existem vários, tanto no futebol masculino como no feminino”, disse a jogadora da seleção `canarinha´, apontando como exemplo a sua companheira Formiga, “que, aos 37 anos, ainda continua a dar `show´ e a ser um exemplo”.

Sobre a seleção portuguesa de futebol feminino, Marta Silva considera que “é uma equipa com novas jogadoras e que está a iniciar um novo trabalho e que tem necessidade de melhorar para competir de igual com outras seleções nas várias competições”.

“É uma nova etapa e quem sabe se futuramente não se torna numa grande potência”, concluiu Marta Silva.

JPC // VR – Lusa/FIm



Foto:

– A brasileira Marta Silva, (Esq) e a jogador Sara Däbritz durante o “Algarve Cup”.

Jogos realizados noEstádio Bela Vista, em Parchal, sul de Portugal, 09 de Março de 2015.

JOSE SENA Goulão / LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários