Esta iniciativa foi organizada pelo Instituto de Mediação e Arbitragem (ILMAI) pela Union Internationale des Advocats (UIA) – União Internacional de Advogados – e pela Ordem dos Advogados de Angola. Foi a primeira vez que a UIA realizou um congresso num país de língua oficial portuguesa.

Manifestando o seu apoio pela organização do seminário em Luanda. Fernando Tonim, presidente do ILMAI deixou claro o facto de “o nosso património comum” ser a língua portuguesa, “uma grande ferramenta na justiça alternativa que consegue resolver conflitos de forma mais directa, rápida, económica e confidencial”, defendeu.

Tendo em conta o grande potencial económico dos países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP), o ILMAI tem o objectivo de dar formação em mediação e arbitragem a advogados, recursos humanos, gestores e outros profissionais através da sua rede. Este sistema está a ser criado a nível da CPLP em parceria com os centros de formação já existentes, com as câmaras de Comércio e as Ordens dos Advogados.

 

FONTE: Público

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar