24 February 2021
Para trocar ideias e informações sobre esta temática, acontece dia 16 de novembro ( sexta-feira), um Workshop que irá reunir especialistas da área da linguística e da tecnologia da informação. O diretor do IILP estará presente no evento para falar sobre as “Políticas Linguísticas Multilaterais para o Português e para o Multilinguismo no Ciberespaço”.

A Língua Portuguesa na Era Digital

Vivemos hoje em dia uma revolução digital que está a ter um impacto extraordinário na forma como comunicamos. Neste aspeto, os desenvolvimentos na área das Tecnologias da Informação e da Comunicação são por vezes comparados com a chamada Revolução de Gutenberg, que resultou da invenção da impressão mecânica.
O que é que esta analogia com a Revolução de Gutenberg nos pode dizer acerca do futuro das nossas línguas?
A impressão mecânica contribuiu decisivamente para o aumento da partilha de informação. No entanto, levou também à extinção de muitas línguas. As línguas regionais e minoritárias, que raramente foram impressas, foram-se vendo reduzidas à sua forma de transmissão oral, ficando cada vez mais limitado o seu uso e abrangência.

Será que as novas tecnologias podem provocar um impacto semelhante nas nossas línguas? Há novos riscos de extinção para as línguas?
A linguagem humana é uma janela para o mundo que nos rodeia. É através do seu uso no dia a dia que comunicamos, aprendemos, partilhamos informações, planeamos o nosso futuro, nos coordenamos uns com os outros, ou apreciamos uma história ou um poema.
Porém, na era digital e num mundo globalizado, a linguagem humana está também na origem de obstáculos imensos. Embora as novas tecnologias permitam que pessoas de todo o mundo possam comunicar umas com as outras, proporcionando o acesso imediato a um repositório inesgotável de informação, a maior parte deste novo universo permanece inacessível e fechado, encerrado dentro das barreiras invisíveis criadas pela diversidade linguística em que essa informação se encontra expressa.
A tecnologia da linguagem e a investigação linguística darão um contributo significativo para se ultrapassarem estas barreiras linguísticas. E isto é apenas parte de um contributo muito mais vasto: vão permitir a interação intuitiva, baseada na linguagem natural, com dispositivos tecnológicos que vão desde máquinas e eletrodomésticos até computadores e robôs.
Mas estarão todas as línguas devidamente preparadas para serem usadas nas novas condições tecnológicas?

Será que todas as línguas estão a ser investigadas e equipadas com a tecnologia da linguagem adequada para acautelar o seu futuro na era digital?
Foram questões como estas que desencadearam a publicação de uma coleção de Livros Brancos para 30 línguas faladas na União Europeia.
E são essas mesmas questões que estão a estimular a organização do presente conjunto de workshops apresentados neste site.

 

Ver programa

Também poderá gostar

Sem comentários