27 February 2021
As VI Jornadas de Didática do Português decorreram nos dias 14 e 15 de novembro na Galiza, em Espanha, e, nessa ocasião, os debates suscitaram reflexões acerca da importância da leitura na produção escrita no âmbito escolar, bem como da interação com outros especialistas e da divulgação quer de métodos quer de técnicas de ação pedagógica no ensino do Português.

A importância da leitura na produção escrita em debate na Galiza

As Jornadas foram organizadas pelo Centro Cultural Português (Instituto Camões) em Vigo e pela Coordenação do Ensino da Língua Portuguesa (CEPE) em Espanha e Andorra.

Os vinte e sete formandos que participaram das Jornadas de Didática do Português – Da Leitura à Escrita em PLE/L2 são professores no ativo de Português que estão a trabalhar no ensino secundário e universitário em Espanha, assim como em Escolas de Idiomas ou Centros de Línguas tanto na Galiza como no resto de Espanha.

Há seis anos, o Centro Cultural Português (Instituto Camões) em Vigo realiza Jornadas de Didáticas do Português com grande êxito formativo. Este ano, os objetivos consistiram em aprofundar o conhecimento em didática da Língua e da Literatura em Português como Língua Estrangeira; aprender e discutir estratégias para a promoção da leitura e aprofundar o conhecimento em didática do texto literário e não literário em Português como Língua Estrangeira. Além disso, a partilha de ideias, recursos e materiais didáticos em Língua Portuguesa também estiveram entre os objetivos propostos.

As Jornadas têm como intuito “capacitar e motivar os professores”, ou seja, aprender, discutir e dispor de novas estratégias de ensino. Assim afirmaram unanimemente durante a sessão de abertura os organizadores do evento: João Ribeirete (Diretor do CCP em Vigo), Filipa Soares (Coordenadora da CEPE- Espanha e Andorra) e Antia Cortiças (ADPG).

As VI Jornadas de Didática do Português contaram com nomes de peso, profundos conhecedores do assunto, que ofereceram um contributo altamente significativo à formação com comunicações acerca da escrita reflexiva e criativa, da modelação e recriação da escrita, da avaliação da escrita, entre outras. Os encarregados de oferecer quase dez horas de entusiasmantes comunicações foram os professores: Luís Felipe Barbeiro, Maria do Carmo Vieira, Margarida Vale de Gato, Luísa Alvares Pereira, Conceição Siopa, Otília Costa e Sousa e José Lino Pascoal.

 

Cláudia Coelho para o Observatório da Língua Portuguesa

Fotos: Cortesia Camões – Vigo

Também poderá gostar

Sem comentários