A mobilidade académica a globalização no espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e em Macau são os temas centrais da 26.ª reunião da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP), que decorre esta semana na capital timorense Díli.

A associação, que integra mais de uma centena e meia de instituições de ensino superior e de investigação de países lusófonos e de Macau, reúne em Timor-Leste, entre 29 de Junho e 1 de Julho, especialistas de vários países que analisarão vários temas, entre os quais a questão da mobilidade académica no espaço dos países de língua portuguesa.

Políticas e estratégias de viabilização da mobilidade académica nos países lusófonos, a língua portuguesa na difusão e desenvolvimento das ciências e os desafios com que se deparam as instituições de ensino superior que integram a Associação das Universidades de Língua Portuguesa são alguns dos temas em debate.

O encontro analisará também “rotas de signos: sentidos, migrações e interculturalidade” e ainda “paisagens, natureza e cultura”.

Na sua convocatória para a reunião, a anfitriã, a Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, recorda que “a mobilidade académica é um corolário da globalização, na difusão do conhecimento e da produção científica, sendo ainda um eixo prioritário da enunciação política da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa”.

Nesse propósito, porém, continua a haver desafios importantes para que os “estudantes possam creditar de forma integrada a sua aprendizagem nos diferentes países lusófonos e os docentes e investigadores possam ver facilitados os seus trabalhos de cooperação”.

Macau já acolheu por duas ocasiões o mais importante encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa. Há dois anos, a iniciativa teve como palco o novo campus da Universidade de Macau na ilha da Montanha. Durante o encontro, a mais conceituada instituição de ensino superior do território foi eleita para a presidência da Associação de Universidades de Língua Portuguesa para o triénio que termina no próximo ano.

Na altura, a eleição dos novos corpos sociais da Universidade de Macau foi realizada por unanimidade, na sequência da apresentação de uma lista única de consenso. A Universidade de Macau, que ocupava desde 2006 uma das vice-presidências da Associação das Universidades de Língua Portuguesa para a Ásia-Pacífico, sucedeu à Universidade Lúrio – de Nampula, Moçambique – na liderança da organização.

Fonte: Ponto Final
close
Subscreva as nossas informações
Partilhar