Díli, 14 set (Lusa) – Vários prémios Nobel participam em Díli em outubro em debates que assinalam o 20.º aniversário da atribuição do Prémio Nobel da Paz aos timorenses José Ramos-Horta e Ximenes Belo, segundo os organizadores do evento.

Além dos dois timorenses que receberam o galardão em outubro de 1996 estarão em Díli, entre outros, Brian Schmidt, Prémio Nobel da Física de 2011, Finn Erling Kydland, Prémio Nobel da Economia 2004, Muhammad Yunus, Prémio Nobel da Paz de 2006 e Richard John Roberts, Prémio Nobel da Medicina de 1993.

Nos dois dias de conferência participam ainda Adama Dieng, conselheiro Especial do secretário-geral das Nações Unidas para a Prevenção do Genocídio, e Gunnar Johan Stålsett, bispo Luterano Emérito de Oslo, na Noruega.

Sob o tema “Cidadania, Paz e Bem-Estar”, a conferência assinala um dos momentos mais importantes para a luta pela libertação de Timor-Leste quando, em outubro de 1996, o Comité Nobel anunciou a decisão sobre a atribuição do Prémio Nobel da Paz aos dois timorenses.

“Há forças na História mais poderosas que a mais poderosa força militar. A violência e o terror não conduzem à paz. Até que alguém ganhe a coragem de quebrar o círculo vicioso da violência não nascem oportunidades para uma paz duradoura”, disse o presidente do Comité Nobel Norueguês, Francis Sejersted, na cerimónia de entrega dos galardões.

Na altura, Francis Sejersted elogiou a ação dos laureados, classificando Ramos-Horta como principal porta-voz internacional da causa timorense e destacando a sua constante busca de oportunidades para uma solução pacífica para o conflito.

O bispo D. Ximenes Belo foi descrito como um representante da esperança do povo num futuro melhor, pelas suas tentativas de reconciliar, mediar e atenuar o conflito.

As celebrações do 20.º aniversário arrancam com uma Cerimónia Solene no Parlamento Nacional, incluindo um debate alargado e várias sessões temáticas nas áreas de Justiça e Direitos Humanos, Economia e Finanças, Ciências e Tecnologia e Saúde e Medicina.

Segundo o programa provisório, a sessão solene está prevista para 07 de outubro com a intervenção, entre outros, do Presidente da República, Taur Matan Ruak, do presidente do Parlamento Nacional, Adérito Hugo da Costa, e de José Ramos-Horta e Ximenes Belo.

Os convidados de honra e vários líderes timorenses devem participar na tarde do mesmo dia num debate alargado, que previsivelmente será encerrado pelo primeiro-ministro, antes de um jantar oferecido por Taur Matan Ruak no Palácio Presidencial.

No dia seguinte decorrem as sessões temáticas com a participação de vários convidados e especialistas internacionais e nacionais.

ASP // MP – Lusa/Fim

ximenes-belo-e-ramos-horta-1

 

Observatório da Língua Portuguesa
AUTOR: Observatório da Língua Portuguesa

Partilhar