“A Guiné Equatorial, o Senegal e as Ilhas Maurícias têm o estatuto de observador associado, sendo previsível que a Guiné Equatorial se junte como membro de pleno direito na Cimeira de Díli, a 23 de julho”, disse Georgina de Mello num encontro que pretendeu anunciar a realização de uma reunião com bancos, seguradoras e entidades financeiras da CPLP, na próxima semana, em Lisboa.

“Em processo muito avançado para a obtenção do estatuto de observador associado está a Namíbia, a Turquia e a Geórgia”, acrescentou a responsável, sublinhando ainda que Japão, Perú e Marrocos são outros países que estão a preparar as candidaturas a observadores associados.

Por último, vincou, há também notícias de que a Índia vai submeter o processo de aproximação à CPLP.

A CPLP junta atualmente oito países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Portugal, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, representando cerca de 4, 6% da riqueza mundial, e estando espalhada por quatro continentes.

MBA // APN – Lusa/Fim

Artigos relacionados:

Partilhar