kriol festival

Mais de meia centena de grupos e artistas atuam na semana de festivais em Cabo Verde

Praia, 06 abr (Lusa) – O Kriol Jazz Festival e o Grito Rock dão no sábado início a uma semana de festivais em Cabo Verde, seguindo-se o Atlantic Music Expo (AME), todos com atuação de mais de meia centena de grupos e artistas.

O Kriol Jazz Festival (KJF), organizado pela Câmara Municipal da Praia (CMP), arranca no sábado à noite na denominada “Zona Kriol”, uma iniciativa gratuita e com maioria de artistas locais, este ano com Silvano Sanches, Hélio Batalha e Fidjus di Codé di Dona.

O primeiro dia, desta que é a nona edição, serve para descentralizar o palco e este ano acontece no bairro Fundo Cobon, um dos mais problemáticos da Praia.

No mesmo dia, acontece a quinta edição do festival Grito Rock, com início às 16:00 na Pracinha da Escola Grande, no centro da Praia, com entrada gratuita e com atuação de 11 artistas e grupos, numa maratona de muita música e animação.

Este ano, o evento conta com atuações de grupos de Angola, Brasil e Canárias, que se juntam a muitos cabo-verdianos, culminando quase duas semanas de muitas outras atividades, como palestras, ‘workshops’, encontro de artistas, oficinas musicais, teatro.

O Grito Rock, criado no Brasil em 2002, como alternativa ao tradicional Carnaval, internacionalizou-se em 2005 para a América Latina, Europa e África e chegou a Cabo Verde em 2013, organizado pela produtora ARTiKul CJ, para promover o intercâmbio musical.

Na segunda-feira, também na cidade da Praia, arranca a quinta edição do Atlantic Music Expo (AME), organizado pelo Ministério da Cultura em parceria com a produtora Harmonia, em que o Presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, será o convidado de honra.

A banda portuguesa Dead Combo, que integra a comitiva do chefe de Estado Português, atua na cidade da Praia na noite de abertura do AME, num de dois concertos públicos em Cabo Verde, com o segundo no dia 13 na ilha de São Vicente.

O grupo vai também fazer um espetáculo restrito a bordo da Fragata da Marinha Portuguesa Álvares Cabral, que está em Cabo Verde para uma missão no âmbito da iniciativa “Mar Aberto” e insere-se na cooperação técnico-militar entre os dois países.

O AME, um encontro internacional de profissionais da música, prossegue durante toda a semana no centro histórico da cidade da Praia, e de acordo com o programa vão atuar nos diversos palcos cerca de 40 grupos e artistas cabo-verdianos e estrangeiros.

A organização espera mais de 600 participantes para assistir aos espetáculos, conferências, formações, feiras e muita troca e partilha de experiência entre fazedores e consumidores de música de todo o mundo.

Nos vários palcos no Plateau vão atuar vários artistas e grupos cabo-verdianos, como Tubarões, Bilimundo, Fantcha, Hilário Silva, Zé Rui, Melissa Fortes, Tradiçon di Terra e Lucibela Santos.

De fora, vão chegar representantes e músicos de Gabão, Mali, Portugal (Duarte), Brasil, Espanha, Gana, ilhas Reunião, Haiti, Canadá, Estados Unidos, Marrocos, Comores, RDCongo, França, Moçambique, Angola, Alemanha.

O AME termina no dia 13 e na mesma noite será a abertura oficial do Kriol Jazz Festival, como habitualmente na Pracinha da Escola Grande e ainda com entrada livre.

O KJF, que será pago nos dois últimos dias, 14 e 15 de abril, este ano tem como cabeça de cartaz a cantora e compositora brasileira Maria Gadú e homenageia o violinista cabo-verdiano Humberto Bettencourt, mais conhecido no mundo da música por ‘Humbertona’.

Haverá também artistas e grupos de vários outros países, como Haiti (Leyla McCalla), França (Sylvain Luc), Estados Unidos (Spyro Gyra), Gana (Pat Thomas), Mali (Kala Jula) e Cuba (Roberto Fonseca Quartet).

De Cabo Verde, a música será de Elida Almeida, Grace Évora e Rui di Bitina.

RYPE // VM – Lusa/Fim

Também poderá gostar


Sem comentários

ARTIGOS POPULARES