Foto LUSA: Barack Obama. Washington, DC, USA, 16 de janeiro de 2017. EPA/MICHAEL REYNOLDS
Foto LUSA: Barack Obama. Washington, DC, USA, 16 de janeiro de 2017. EPA/MICHAEL REYNOLDS

Fotógrafo da Casa Branca diz que Barack Obama chama-o de “o açoriano”

Washington, 18 Jan (Lusa) – O luso-descendente de origem açoriana Pete Souza, que passou os últimos oito anos como fotógrafo oficial da Casa Branca, contou esta hoje, na rede social Instagram, que Barack Obama o chama de “o açoriano”.

“Durante oito anos, o meu patrão referiu-se a mim (…) como o açoriano. Os meus dois pares de avós nasceram nos Açores, ilhas portuguesas no meio do Atlântico”, lembra na publicação.

“Acho que ele achava ‘cool’ porque nunca tinha conhecido ninguém dos Açores. Acontece que o seu diretor político no segundo mandato, David Simas, e o seu Secretário de Energia, Ernie Moniz, também tinham raízes açorianas. Tornou-se ainda mais ‘cool’ ser açoriano”, conta o fotógrafo.

O texto acompanha uma fotografia tirada na Base das Lajes, em Novembro, altura em que Barack Obama fez uma escala técnica na ilha Terceira no regresso da sua última viagem como Presidente dos Estados Unidos à Europa.

“O Air Force One estava a reabastecer nos Açores enquanto viajávamos da Grécia para o Peru. O Presidente, que normalmente não desembarca durante paragens de reabastecimento, disse aos Serviços Secretos que que ia sair do avião ‘para tirar uma fotografia com o Pete’. E depois, devido à linda paisagem, acabamos a caminhar na pista por 90 minutos”, lembra, agradecendo a fotografia a um elemento da sua equipa, Chuck Kennedy.

Souza, de 62 anos, foi nomeado para o cargo na Casa Branca em 2008, onde já tinha estado como fotógrafo oficial de Ronald Reagan.

O luso-descendente conheceu Barack Obama em Janeiro de 2005, no primeiro dia do então senador no Capitólio.

Souza, que trabalhava para o Chicago Tribune, documentou o primeiro ano de Obama no Senado, bem como as suas viagens a sete países.

O resultado desse trabalho foi compilado no livro “The Rise of Barack Obama”, que integrou a lista de “best-sellers” do New York Times.

Neto de emigrantes açorianos, Pete Souza conta no currículo com trabalhos publicados na National Geographic, Fortune e Newsweek.

Como fotojornalista esteve também, após o 11 de Setembro, entre os primeiros jornalistas que cobriram a queda de Cabul, no Afeganistão, onde chegou depois de ter cruzado as montanhas Hindu Kush a cavalo com quase um metro de neve.

Admirador de Sebastião Salgado, Henri Cartier-Bresson, David Halberstam e Bruce Springsteen, Pete Souza disse à Lusa, numa entrevista em 2008, alimentar o desejo de um dia regressar aos Açores para poder registar em imagens a vida no arquipélago.

“Em 1988, acompanhei o meu tio numa visita à ilha onde nasceram os meus avós. É um lugar maravilhoso. Espero regressar”, disse na altura.

Natural de South Dartmouth, Massachussets, Pete Souza graduou-se com distinção em comunicação social na Universidade de Boston e obteve um mestrado em jornalismo e comunicação de massas na Universidade de Kansas.

AYS//ISG – Lusa/Fim

 

Também poderá gostar


Sem comentários

ARTIGOS POPULARES