Feira iberica

Feira Ibérica de Turismo da Guarda 2017 tem Moçambique como país convidado

Guarda, 16 jan (Lusa) – A 4.ª edição da Feira Ibérica de Turismo (FIT), a realizar de 28 de abril a 01 de maio, na cidade da Guarda, terá Moçambique como país convidado, foi hoje anunciado.

Segundo o presidente da autarquia da Guarda, Álvaro Amaro, o município volta a apostar na internacionalização da FIT e Moçambique, no continente africano, foi convidado para participar, enquanto o destaque ibérico será dado à região da Estremadura espanhola.

Na conferência de imprensa de apresentação do certame, o autarca adiantou que na edição de 2017 a FIT destaca “o turismo sustentável para o desenvolvimento e a importância do Turismo de Natureza”, no âmbito da estratégia do município “para os próximos anos”, de que é exemplo o anunciado projeto dos “Passadiços do Mondego”.

A Câmara da Guarda abriu hoje as inscrições para a FIT, a realizar entre 28 de abril e 01 de maio, no Parque Urbano do Rio Diz, que estão disponíveis, até 28 de março, através do sítio da internet da autarquia (www.mun-guarda.pt/fit) ou através do endereço de correio eletrónico fit@mun-guarda.pt.

O diretor da feira, Carlos Condesso, disse que na edição deste ano do certame a entidade promotora, a Câmara Municipal da Guarda, irá “melhorar as condições técnicas”.

“Vai haver algumas alterações nomeadamente na zona da restauração: vamos dar mais conforto a quem nos visita e a quem expõe”, garantiu, prometendo que a Guarda promoverá “uma feira mais airosa”.

Carlos Condesso explicou ainda que o certame dará este ano destaque aos operadores e serviços mais diretamente ligados ao Turismo de Natureza e ao Turismo em Espaços Rurais.

O presidente do Turismo do Centro, Pedro Machado, também presente na conferência de imprensa, disse que a FIT é a única feira especializada em turismo que se realiza na região Centro e que “representa uma enorme mais-valia” para o setor.

“A FIT ajuda a combater a litoralização da atividade turística”, afirmou, referindo tratar-se de um evento que “desloca a concentração turística do litoral para esta região” do interior.

Considerou ainda que a feira é importante por reforçar o mercado turístico interno e por ter uma “fortíssima ligação” ao mercado externo, através de Espanha.

Promover o setor do turismo ibérico, fomentar o intercâmbio transfronteiriço, estimular o relacionamento comercial e o progresso dos vários setores e segmentos da economia e o desenvolvimento dos territórios são objetivos do certame que tem por lema “Uma feira. Dois países. O mundo”.

Segundo a autarquia da Guarda, a feira tem vindo a afirmar-se como “uma plataforma transfronteiriça no panorama ibérico dos eventos ligados ao turismo” e “uma oportunidade singular de divulgação, promoção, captação e desenvolvimento de fluxos turísticos e de valorização dos recursos”.

A edição de 2016, que teve o Brasil como país convidado, contou com uma área total coberta de 8.000 metros quadrados, juntou mais de uma centena de expositores de Portugal e de Espanha e atraiu “dezenas de milhares de visitantes”, segundo a autarquia.

ASR // SSS – Lusa/Fim

Também poderá gostar


Sem comentários

ARTIGOS POPULARES